Plantando Água - Documentário PARI-c. Vencedor do Prêmio de melhor filme da Reunião de Antropologia da Saúde (IV RAS - Brasil)

por PARI-c
30 Setembro 2021
Nota de Pesquisa

Sinopse: Como pensar na soberania alimentar e nutricional sem pleno acesso à água? Na manutenção da medicina tradicional? Na dessedentação humana e animal? Na higienização, seja por rito natural ou orientação para evitar o contágio pelo novo coronavírus? Neste filme, falamos de como elementos da conjuntura nacional operam e impactam a vida cotidiana dos povos originários. Para isso, Cristiane Julião Pankararu – integrante do Comitê Boletim da APIB na Pandemia – compartilha conosco um pouco da batalha no campo jurídico, e Socorro Kapinawá, liderança da Aldeia Malhador, agricultora e técnica em agroecologia, fala sobre como sua comunidade aproveitou a pandemia para plantar água no Sertão.

CRÉDITOS
• Direção: Graciela Guarani
• Co-direção: Lara Erendira de Andrade e Paulidayane Lima
• Imagens e Fotografia: Kapinawá – Projeto Plantando Água e arquivo das pesquisadoras; Pankararu – Graciela Guarani; Brasília – Renato Cortez
• Montagem e Edição: Alexandre Pankararu
• Vinheta PARI-cine: Ziel Karapotó
• Legendas: Karen Villanova
• Pesquisa: Cristiane Julião – Pankararu; Lara Erendira Almeida de Andrade; Paulidayane Cavalcanti de Lima; Socorro Siqueira – Kapinawá; Thayná Donato Gomes – Potiguara
• Assessoria de Comunicação: Cristiano Navarro
• Coordenação: Spensy Pimentel
• Realização: Respostas Indígenas à COVID-19 no Brasil: arranjos sociais e saúde global - PARI-c; National Institute for Health Research | NIHR; UKRI – UK Research and Innovation
• Parceiros: NEPE e APOINME - Articulação dos Povos e Organizações Indígenas do NE, MG e ES

Este filme integra a Plataforma de Antropologia e Respostas Indígenas à #COVID19 – PARI-c (www.pari-c.org), a qual é uma ferramenta de comunicação da pesquisa Respostas Indígenas à COVID-19 no Brasil: arranjos sociais e saúde global. A pesquisa, que se desenvolve ao longo de 2021, é realizada inteiramente de forma remota, conta com uma rede de pesquisadores indígenas e não indígenas em todo o território brasileiro, visa entender como os povos indígenas estão vivenciando a pandemia da COVID-19. www.pari-c.org.br - Twitter: https://twitter.com/pari_c19