alt=

A Plataforma de Antropologia e Respostas Indígenas à COVID-19 – PARI-c é uma ferramenta de comunicação da pesquisa Respostas Indígenas à COVID-19 no Brasil: arranjos sociais e saúde global. A pesquisa, que se desenvolve ao longo de 2021 e é realizada inteiramente de forma remota, conta com uma rede de pesquisadores indígenas e não indígenas em todo o território brasileiro, e visa entender como os povos indígenas estão vivenciando a pandemia da COVID-19.

Na PARI-c serão publicadas, mensalmente, notas de pesquisa. Além disso, oito estudos de caso serão publicados a partir do segundo semestre, estruturados a partir de três eixos de análise: 1. Saúde, Cuidado e Morte; 2. Mobilidade e Circulação; 3. Gênero.

01 - Parto e cuidado em tempos de COVID-19
(Equipe Brasil Meridional)

02 - Distanciamento social e seus entendimentos
(Equipe Brasil Meridional)

03 - Mulheres, comida e cuidado: Respostas indígenas à COVID-19
(Equipe Brasil Central e Amazônia Meridional)

04 - Luta, vida e pandemia na terra Apinajé
(Equipe Brasil Central e Amazônia Meridional)

05 - Parque das Tribos (Manaus/AM) & Kokamas (Alto Solimões): Reivindicações territoriais, saúde e cuidado indígena no Amazonas
(Equipe Norte Amazônico)

06 - Mulheres indígenas e cosmopolíticas do cuidado no Alto Rio Negro
(Equipe Norte Amazônico)

07 - Saberes tradicionais femininos e saúde indígena em tempo de pandemia da COVID-19
(Equipe Nordeste)

08 - Movimentos indígenas, pandemia e controle social: estratégias de mobilização e enfrentamento da COVID-19 pelos povos indígenas em Pernambuco e Paraíba
(Equipe Nordeste)

Financiada pelo Conselho Médico de Pesquisa (MRC) da agência de Pesquisa e Inovação do Reino Unido (UKRI), a PARI-c é resultado de um acordo de cooperação internacional entre a Universidade de Londres (City University), no Reino Unido, a Universidade de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA), a Universidade do Sul da Bahia (UFSB) e a Universidade de São Paulo (USP), no Brasil.

Cerca de sessenta pesquisadoras e pesquisadores compõem a PARI-c de modo fixo. Além destes, aproximadamente vinte colaboradoras e colaboradores eventuais e assistentes de campo trabalham na produção das notas de pesquisa e dos estudos de caso. Temos dois princípios de equidade na PARI-c: equilíbrio de gênero, e entre indígenas e não indígenas.

O projeto de pesquisa está disponível aqui.

ONDE PESQUISAMOS

À medida que formos avançando no calendário da pesquisa, atualizaremos o mapa.

QUEM FAZ A PARI-c